O UNIVERSO NÃO DEVERIA EXISTIR, CONCLUEM CIENTISTAS RENOMADOS

O UNIVERSO NÃO DEVERIA EXISTIR, CONCLUEM CIENTISTAS RENOMADOS DO CERN

Alguns dos cientistas mais renomados do mundo ainda estão lutando para descobrir por que exatamente nosso Universo não se autodestruiu assim que surgiu. Isso é o que a ciência diz que deveria ter acontecido – mas claramente não aconteceu, ou você não estaria lendo isso.

No princípio do Universo, de acordo com o modelo padrão vigente, existiam quantidades iguais de matéria e anti-matéria. O problema com isso é que cada uma delas se aniquilaria, não deixando nada do que nos rodeia hoje.

Os pesquisadores procuraram freneticamente alguma diferença entre matéria e anti-matéria que poderia explicar por que o Universo ainda existe. Eles já tentaram uma série de possibilidades diferentes – se elas têm massa diferente, carga elétrica ou outra coisa – mas não encontraram nenhuma diferença.

Isso levou os pesquisadores a questionar por que o universo ainda existe. Por que existe algo ao invés do nada?

“Todas as nossas observações encontram uma simetria completa entre matéria e antimatéria, razão pela qual o universo não deveria existir”.

“Uma assimetria deveria existir aqui em algum lugar, mas simplesmente não entendemos onde está a diferença. Qual é a fonte da ruptura de simetria?” explicou Christian Smorra, autor de um novo estudo realizado no CERN, Organização Européia para Pesquisa Nuclear.

A última possibilidade seria a matéria e o magnetismo diferentes da anti-matéria, o que poderia ter dado vitória da matéria sobre a anti-matéria. Mas novas pesquisas mostraram que elas são idênticas também – aumentando ainda mais o mistério à questão de por que o Universo ainda existe.

O novo estudo, liderado pelo Dr. Smorra, procurou medir anti-prótons para descobrir como eles eram diferentes dos prótons que nos rodeiam. Eles mediram o magnetismo da anti-matéria em detalhes mais precisos do que nunca, e ficaram surpresos ao descobrir que a matéria e a anti-matéria são exatamente simétricas.

Os pesquisadores ainda esperam poder examinar os anti-prótons com detalhes mais precisos e ver se há diferença quando conseguirem se aproximar ainda mais do mistério. 

Mas outros cientistas estão verificando outras possibilidades, como a possibilidade da anti-matéria possuir uma gravidade invertida (como coisas que caem para cima), o que significaria um ponto de assimetria e, talvez, explicaria como o Universo pode surgir e ‘evoluir’ ao invés de se autodestruir.

Porém, ainda existe uma “Sintonia Fina” do Universo de constantes universais fundamentais que pode não ser explicada mesmo com a descoberta futura de como se deu o surgimento do Universo, o que denota o outro mistério de como elas podem estar em tal equilíbrio que permite que o Universo e a vida continuem existindo.

Há também aqueles, como Elon Musk, que acreditam que o Universo e a vida fazem parte de uma gigantesca simulação de realidade virtual criada por “alguém” ou alguns, como um jogo de vídeo game. Além de muitos religiosos que acreditam em uma(s) Entidade(s) Superior(es) criador(s) de todo o Cosmos.




Meio Info/Independent/Cosmos Magazine/Tecmundo/Dr Craig International


A informação foi útil pra você?

Se sim, compartilhe-a com seus amigos e deixe também sua opinião nos comentários.

Quer receber novos conteúdos do Meio Info gratuitamente? Cadastre-se:

Por favor, certifique que seu e-mail esteja correto.


Deixe uma resposta

Top