Você está aqui
Home > Energia

O DESIGN DAS BALEIAS JUBARTE ESTÁ AJUDANDO A RESOLVER UM GRANDE PROBLEMA DAS TURBINAS EÓLICAS

Jubarte

Uma baleia-Jubarte (também chamada de baleia-corcunda ou baleia-cantora) adulta é maior e mais pesada que um ônibus. Uma fêmea (maior que o macho) pode chegar a 16 metros de comprimento e pesar mais de 30 toneladas.[1] Ainda assim, esse mamífero gigante é incrivelmente ágil ao mergulhar e fazer curvas, principalmente quando caça.

Parte do segredo dessa baleia está nas saliências de suas nadadeiras. A maioria das baleias e outros cetáceos possui nadadeiras com bordas frontais lisas. Mas não a baleia-Jubarte. Ela possui saliências bem grandes (chamadas tubérculos) na borda frontal de suas nadadeiras. Quando ela nada, a água flui sobre essas saliências e forma um grande número de vórtices.

As saliências canalizam o fluxo de água e criam turbulências. Esse efeito proporciona mais força de sustentação à baleia, permitindo que ela incline bem suas nadadeiras sem perder sustentação. Nessa inclinação, as saliências também reduzem o arrasto, ou seja, um grande benefício para suas longas nadadeiras, que individualmente correspondem a um terço do tamanho de seu corpo.

Pesquisadores estão usando esse design como um conceito para aprimorar lemes de barcos, turbinas hidráulicas, hélices de helicópteros e no caso desse artigo, as hélices de eólicas.

Uma equipe da Universidade de West Chester, Estados Unidos testou esse design em um túnel de vento e observou um aumento de 42% no ângulo de asas, hélices de eólicas e motores de avião.

Especialmente nas eólicas isso trás um enorme benefício, pois os engenheiros precisam lidar constantemente com fortes rajadas de ventos que danificam a estrutura do moinho. Mas com o desenvolvimento dessa nova tecnologia baseada no design das nadadeiras da Jubarte, o vento pode ser desviado facilmente, permitindo que a energia seja melhor aproveitada, aumentando significativamente a velocidade do giro e consequentemente gerando mais energia, além de diminuir a manutenção das hélices. [2]

Abaixo está um vídeo explicativo (em inglês) do estudo. Embora não esteja em português, é possível entender o conceito:

Referências:

[1] Baleia Jubarte – Info Escola
[2] Whales Wind Turbines – Wired
Imagem destaque: reprodução internet


A informação foi útil pra você?

Se sim, compartilhe-a com seus amigos e deixe também sua opinião nos comentários.

Quer receber novos conteúdos do Meio Info gratuitamente? Cadastre-se:

Por favor, certifique que seu e-mail esteja correto.


Deixe uma resposta

Top