A PRODUÇÃO DE MACONHA ESTÁ PREJUDICANDO O MEIO AMBIENTE, MOSTRA ESTUDO

A PRODUÇÃO DE MACONHA ESTÁ PREJUDICANDO O MEIO AMBIENTE, MOSTRA ESTUDO

Quando os pesquisadores analisaram as consequências ecológicas do cultivo da maconha (cannabis sativa) no norte da Califórnia, nos EUA, eles ficaram surpresos com o impacto generalizado das pequenas fazendas.

“A cannabis deixa uma pequena pegada espacial, mas tem impactos ambientais potencialmente significativos. Para mitigar esses impactos, os formuladores de políticas e os planejadores precisam implementar regulamentos ambientais e de uso do solo específicos para controlar a expansão da cultura da cannabis durante esta fase inicial do seu desenvolvimento”, disse Jake Brenner, professor associado de ciência ambiental no Ithaca College, em um comunicado à imprensa.

Como a agricultura (legalizada) da maconha é recente, os dados sobre seu impacto ambiental são difíceis de encontrar. Por isso, a última pesquisa – publicada nesta semana na revista Frontiers in Ecology and the Environment – oferece um plano para avaliar os efeitos potenciais das novas fazendas de maconha.

Estudos anteriores mostraram que os pesticidas utilizados contra roedores em fazendas de maconha prejudicaram os mamíferos locais. A irrigação também pode roubar o habitat da vida selvagem local.

No último estudo, cientistas compararam os efeitos ambientais do cultivo de cannabis, como a perda de habitat, desmatamento e fragmentação florestal, aos efeitos causados por operações de madeira.

“Descobrimos que, embora a [operação de] madeira tenha maiores impactos na paisagem em geral, a cannabis causa mudanças muito maiores nas métricas-chave por área e por unidade”, disse Van Butsic, pesquisador da Universidade da Califórnia, em Berkeley. [ênfase acrescentada]

Enquanto uma fazenda de maconha é menor do que a operação média de madeira, seu impacto ambiental em escala é maior. A análise das fazendas de maconha em 62 bacias hidrográficas selecionadas aleatoriamente provou que a safra causou 1,5 vezes mais perda de floresta e 2,5 vezes mais fragmentação florestal.

“Os resultados mostram o quão importante é considerar os impactos ambientais em diferentes escalas”, disse Brenner.

A elaboração de políticas ainda está a cargo da legalização e do crescimento da indústria da maconha, e o impacto a longo prazo da agricultura e dos regulamentos da indústria não são claros.

A Califórnia limita o cultivo de maconha a um único acre por parcela de terra, mas na prevenção de grandes fazendas industriais, a lei pode encorajar a proliferação de pequenas fazendas com impactos ambientais exagerados. Essas pequenas fazendas podem trabalhar para separar florestas valiosas e reduzir o habitat da vida selvagem.

Os cientistas esperam que seu último estudo possa inspirar uma melhor elaboração de políticas, de modo a limitar o impacto da agricultura de maconha no meio ambiente.

“Estudos como este têm o potencial de informar diretamente a política local de uso da terra e a regulação ambiental estadual. É emocionante fazer parte desta pesquisa porque está capturando um fenômeno humano no ambiente no momento de sua emergência”, disse Brenner.

O estudo está disponível neste link.




Meio Info/UPI


A informação foi útil pra você?

Se sim, compartilhe-a com seus amigos e deixe também sua opinião nos comentários.

Quer receber novos conteúdos do Meio Info gratuitamente? Cadastre-se:

Por favor, certifique que seu e-mail esteja correto.


Deixe uma resposta

Top