Você está aqui
Home > Mobilidade

LIGAÇÕES HIDROVIÁRIAS TIRARIAM MAIS DE 100 MIL VEÍCULOS DAS RUAS DO RIO DE JANEIRO

Ligações hidroviárias

Em 2013, os congestionamentos nos 21 municípios que da Região Metropolitana do Rio atingiram 130 quilômetros por dia, gerando um custo de R$ 29 bilhões.

Em 2022, os engarrafamentos podem alcançar mais de 180 km por dia e os custos podem atingir R$ 40 bilhões, mesmo com a expansão e do sistema metroferroviário, os corredores exclusivos para ônibus (BRT e BRS) e a implantação do sistema de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) no Centro e na Zona Portuária. Os cálculos são do Sistema Firjan – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro.

Para contribuir com a melhoria da mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro e com isso diminuir os prejuízos causados pelos longos congestionamentos, o Sistema FIRJAN divulgou em 25/08/15 um estudo que aponta 14 novas ligações hidroviárias viáveis.

De acordo com o estudo da Firjan, essas 14 linhas entre os eixos da Baía de Guanabara e da Barra da Tijuca tem potencial de absorver 272.400 viagens de passageiros por dia, retirando o equivalente à 100.900 veículos das ruas. Isso representaria uma redução de 84,1 km diários de congestionamento, e a diminuição de R$ 11,2 bilhões no custo anual causado pelo tempo perdido no trânsito, em especial durante a distribuição de cargas e pela perda de produtividade dos trabalhadores.

No eixo Baía de Guanabara, que hoje conta com apenas quatro linhas, a FIRJAN propõe 11 novas ligações.

Estas linhas podem proporcionar mais de 156 mil viagens de passageiros por dia, o equivalente a 57,8 mil veículos. Entre as linhas propostas, cinco conectam o Rio de Janeiro ao Leste Fluminense, uma a Duque de Caxias, quatro às ilhas do Governador e do Fundão, e uma Charitas a Itaipu, em Niterói.

No eixo Barra da Tijuca, a FIRJAN sugere a ligação da Barra da Tijuca para a Praça XV e no Complexo Lagunar. Da Barra da Tijuca para a Praça XV, o transporte pode absorver até 106,4 mil viagens de passageiros por dia, que equivalem a mais de 39 mil veículos fora das ruas. Neste caso, a Federação propõe embarcações próprias para navegação em mar aberto e ressalta que uma estação próxima ao Terminal Alvorada permite a criação de um polo multimodal de passageiros devido à conexão com as estações do Bus Rapid Transit (BRT) e do metrô. O projeto possibilita a plena integração da Barra da Tijuca com todo o município, o Leste Fluminense e Duque de Caxias, através de modos de transporte de alta capacidade.

Também na Barra da Tijuca, as ligações hidroviárias consideradas possíveis no Complexo Lagunar podem realizar próximo a dez mil viagens de passageiros por dia, que substituiria 3,7 mil veículos. A proposta permitiria aos usuários a integração com a futura estação da Linha 4 do metrô, no Jardim Oceânico, que fará a conexão da Barra da Tijuca com a Zona Sul e o Centro. Segundo a FIRJAN, a combinação das hidrovias com a Linha 4 do metrô possibilita a retirada de milhares de veículos ao longo do trajeto Barra da Tijuca – Centro, reduzindo ainda mais os congestionamentos.

O Estudo completo está disponível neste link!

Meio Info/FIRJAN


A informação foi útil pra você?

Se sim, compartilhe-a com seus amigos e deixe também sua opinião nos comentários.

Quer receber novos conteúdos do Meio Info gratuitamente? Cadastre-se:

Por favor, certifique que seu e-mail esteja correto.


Deixe uma resposta

Top