DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – O QUE É E COMO ALCANÇÁ-LO?

desenvolvimento sustentável

O que é?

É o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.

O que é preciso para alcançar o Desenvolvimento Sustentável?

Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos. Esse conceito representou uma nova forma de desenvolvimento econômico, que leva em conta o Meio Ambiente.

Muitas vezes, desenvolvimento é confundido com crescimento econômico, que depende do consumo crescente de energia e recursos naturais. Esse tipo de desenvolvimento tende a ser insustentável, pois leva ao esgotamento dos recursos naturais dos quais a humanidade depende.

Atividades econômicas podem ser encorajadas em detrimento da base de recursos naturais dos países. Desses recursos depende não só a existência humana e a diversidade biológica, como o próprio crescimento econômico.

O Desenvolvimento Sustentável sugere, de fato, qualidade em vez de quantidade, com a redução do uso de matérias-primas e produtos e o aumento da reutilização e da reciclagem.

O que podemos fazer?

Existem várias ferramentas para conseguir alcançar o desenvolvimento sustentável, as empresas criam ou seguem conceitos atualmente difundidos por organizações governamentais e não governamentais.

Mas não podemos deixar toda a carga para as empresas, como cidadãos temos que fazer a nossa parte para ajudar. Certas mudanças de atitudes são muito úteis para difundirmos o Desenvolvimento Sustentável até mesmo em nosso dia-a-dia.

Abaixo está descrita uma ótima ferramenta que também é muito utilizada em vários países: os “R’s”. Ela é muito simples e pode ajudar tanto uma grande organização, um governo, ou até mesmo cidadãos comuns, gerando consciência ambiental. redução de consumo, da poluição e de gastos no dia-a-dia, gerando mais qualidade de vida e preservação da natureza como um todo. Sim, é possível. Veja:

Os 7 R

1º “R”: Repensar

Geralmente agimos na vida automaticamente, sem analisarmos o que estamos fazendo, pois antecipadamente concluímos que todos fazem a sua parte.

Mas é necessário parar para pensar:

  • Realmente precisamos de determinados produtos que compramos ou ganhamos?
  • Compramos produtos duráveis/resistentes, evitando comprar produtos descartáveis?
  • Evitamos a compra de produtos que possuem elementos tóxicos ou perigosos?
  • Enterramos o nosso lixo (resíduo), se não houver coleta do mesmo no bairro?
  • Evitamos queimar o lixo (resíduo)?
  • Lemos os rótulos dos produtos para conhecer as suas recomendações ou informações ambientais?
  • Usamos detergentes e produtos de limpeza biodegradáveis?
  • Utilizamos pilhas recarregáveis?
  • Não compramos produtos de origem duvidosa?
  • Pegamos emprestado ou alugamos aparelhos/equipamentos que não usamos com freqüência, ao invés de comprá-lo?
  • Não jogamos no lixo remédios, injeções e curativos feitos em casa, procurando uma farmácia ou um posto de saúde como uma alternativa de descarte?
  • Consertamos produtos em vez de descartá-los, substituindo-os por novos?
  • Deixamos os pneus velhos nas oficinas de trocas, pois elas são responsáveis pelo seu destino adequado?
  • Deixamos a bateria usada do carro no local onde adquirimos a nova, certificando que existe um sistema de retorno ao fabricante?
  • Evitamos as pilhas de alto teor de chumbo, Cadmo e Mercúrio ou então, após o uso, devolvemos o produto para o revendedor?
  • Junto aos outros consumidores, exigimos produtos sem embalagens desnecessárias, assim como vasilhames?
  • Damos preferência a produtos e serviços que não agridem o Meio Ambiente, tanto na produção, quanto na distribuição, no consumo e no descarte final?
  • Escolhemos produtos de empresas certificadas, isto é, que desenvolvam programas sócio-ambientais e/ou que sejam responsáveis pelo produto após consumo?
2º “R”: Reduzir

O consumo exagerado é um dos principais erros da maneira de viver da atual sociedade. Afinal, consumir mais do que precisa significa abusar do que o planeta pode oferecer. Além disso, o consumo de forma descontrolada causa diferenças sociais, pois muitas pessoas ficam sem o que consumir, e também provoca o desperdício.

Podemos reduzir o consumo tomando as seguintes atitudes:

  • Não comprar por impulso para não desperdiçar, compre e use somente o necessário;
  • Comprar produtos que durem bastante e consumam menos energia (com selo PROCEL);
  • Diminuir a quantidade de pacotes e embalagens, se sua família é grande, opte por embalagens maiores de alimentos;
  • Levar sacolas ou carrinhos de feira para carregar compras, em substituição às sacolas oferecidas pelas lojas e supermercados;
  • Dividir com outras pessoas alguns materiais como: jornais, revistas e livros;
  • Pense antes de imprimir e se possível, aproveite os dois lados do papel sulfite;
  • Prefira sempre as embalagens retornáveis, como as garrafas de refrigerante de vidro, e os produtos com refil;
  • Se possível leve para o trabalho caneca para tomar água e café, evite copos plásticos;
  • Prefira utilizar pilhas e baterias recarregáveis;
  • Evitar utilizar equipamentos em horários de pico e ao mesmo tempo como: chuveiro, ferro elétrico, máquina de lavar e secar roupas;
  • Tomar banhos mais rápidos e fechar o chuveiro ao se ensaboar;
  • Fechar a torneira enquanto faz a barda, escova os dentes e ao ensaboar as mãos;
  • Verificar se existem vazamentos em encanamentos, torneiras, chuveiros, entre outros.
3º “R”: Reutilizar

Este conceito está relacionado com a utilização de um produto ou embalagem mais de uma vez. Amplie a vida útil dos produtos e dos aterros sanitários, economizando a extração de matérias-primas virgens.

Portanto, estaremos reutilizando quando:

  • Compramos produtos cujas embalagens são reutilizáveis e/ou recicláveis (só não produtos químicos);
  • Vidros bem lavados que servem para guardar alimentos e tantos outros materiais;
  • Quando usamos o verso da folha de papel para escrever (rascunho);
  • Pintamos móveis antigos, fazendo-os parecer novos, que podem ser feitos com sobras de madeira;
  • Trocamos a capa dos estofados;
  • Guardamos, para uso posterior, envelopes pardos que já foram usados, mas que continuam perfeitos;
  • Fazemos a limpeza em objetos antigos, sem uso, para começar a reutilizá-los;
  • Doamos produtos que possam servir as outras pessoas, como: revistas, livros, roupas, móveis, utensílios domésticos, etc;
  • Consertamos brinquedos;
  • Artesanatos e tantas outras formas, até o plástico, o papel, os restos de uma construção ou um filtro para coar café podem virar artigos de decoração ou ter outra utilidade benéfica.
4º “R”: Reaproveitar

Com o reaproveitamento, a quantidade de lixo diminui e ainda economizamos. E o ambiente agradece. Veja como reaproveitar materiais no cotidiano:

  • Não comprem sacos de lixo. Use as embalagens das compras que possui para jogá-lo fora;
  • Procurem comprar produtos que tenham embalagens que podem ter outro uso;
  • Caixas de sapato são ótimas para porta–treco;
  • Potes de plástico ou de vidro são boas opções para guardar pregos, parafusos, chips, etc;
  • Envelopes podem ser usados para guardar documentos ou fotografias;
  • Roupas usadas poderão ser recortadas ou tingidas;
  • Caixas de papelão poderão ser utilizadas para colocar produtos de limpeza;
  • Procuramos dar um novo destino aos objetos que foram utilizados.
5º “R”: Reciclar

A Reciclagem anda de braços dados com a Coleta Seletiva e através da reciclagem, os produtos (= resíduos) serão transformados em matéria-prima para se iniciar um novo ciclo de produção – consumo – descarte. Alguns exemplos de como podemos contribuir com a reciclagem:

  • Fazendo a coleta seletiva de resíduos em sua empresa, casa e comunidade, participando das campanhas, treinamentos etc;
  • Organize em sua casa, escola, bairro, rua, comunidade, igreja um plano de separação de materiais para coleta seletiva;
  • Comprando produtos reciclados;
  • Comprando produtos cujas embalagens sejam feitas de materiais reciclados ou materiais recicláveis.

Alguns benefícios da Reciclagem:

  • Menor redução de florestas nativas.
  • Reduz a extração dos recursos naturais.
  • Diminui a poluição do solo, da água e do ar.
  • Economiza energia e água.
  • Conserva o solo. Diminui o lixo nos aterros e lixões.
  • Prolonga a vida útil dos aterros sanitários.
  • Diminui os custos da produção, com o aproveitamento de recicláveis pelas indústrias.
  • Diminui o desperdício.
  • Melhora a limpeza e higiene da cidade.
  • Previne enchentes e doenças relacionadas.
  • Diminui os gastos com a limpeza urbana.
  • Cria oportunidade de fortalecer cooperativas.
  • Gera emprego e renda pela comercialização dos recicláveis.
6º “R”: Recuperar

Muita coisa em nosso planeta sofre com a poluição e a degradação. Rios têm água contaminada, florestas foram desmatadas e muitos animais estão quase extintos. Esses são apenas alguns exemplos. Agora, mediante a necessidade de uma nova forma de viver neste planeta, é preciso pensar em como recuperar tudo que vem sendo destruído. Todos devem também criar e propor soluções, cobrar das empresas e do governo que tomem atitude, para que possam recuperar o máximo possível dos recursos naturais ainda existentes.

7º “R”: Recusar

É importante que o consumidor observe, além da data de fabricação do que leva para casa, garantia ou qualidade, ver se o produto escolhido é ambientalmente correto. Qualquer produto que esteja de acordo com os princípios sustentáveis agrega valor para quem produz e mais consciência para quem consome. Essa é uma realidade que já está acontecendo. Mudar a maneira de produzir ou fabricar é a garantia da permanência no mercado com responsabilidade. E redirecionar a forma de consumo é garantia de mais qualidade de vida.

Se você repensou e viu que não precisava comprar ou aceitar algum produto, simplesmente recuse. Pode parecer deselegante em um primeiro momento, mas você verá como essa ação simples pode evitar a geração de muito lixo desnecessário no planeta. Seja parado no trânsito, quando alguém lhe oferece um folheto que você sabe que não é do seu interesse, ou no caixa, quando o balconista lhe entrega um saco plástico para colocar uns poucos produtos, apenas diga que não quer e, claro, agradeça.

E agora, preparado(a) para praticar o Desenvolvimento Sustentável?

 

Imagem fonte: Colorado College


A informação foi útil pra você?

Se sim, compartilhe-a com seus amigos e deixe também sua opinião nos comentários.

Quer receber novos conteúdos do Meio Info gratuitamente? Cadastre-se:

Por favor, certifique que seu e-mail esteja correto.


Deixe uma resposta

Top